top of page
  • Cintia Caciatori

Conheça o Museu da Amazônia: MUSA



O Museu da Amazônia possui um conceito bem diferente dos museus que já visitei em minha vida, pois é permitido estar em contato direto com a natureza e com os animais, de forma livre e sensorial. Tudo isso é possível, pois o MUSA localiza-se num "pedacinho" da Floresta Amazônica, na periferia de Manaus.

A seguir vou contar como foi a visita, um dos programas mais legais para fazer em Manaus em minha opinião. Vale aqui lembrar que se você vai a Manaus para imergir na floresta, assim como eu fui, a experiência de conhecer o Musa é diferente e ainda assim muito válida.


Antes da visita você precisa saber:


Onde fica

O MUSA localiza-se ao norte da cidade de Manaus, aproximadamente a 20 km do centro. Como fiquei hospedada no Largo São Sebastião (Teatro Amazonas), optei por pegar um carro de aplicativo até o Museu. O valor do transporte fica entre R$30 e R$40 e o tempo de viagem é de 25 minutos.

Já se você prefere um pacote com guia particular, transfer de ida e volta e outras comodidades é só clicar aqui para mais detalhes.



Valor da entrada

A entrada do museu custa R$40 (inteira). Possui descontos e gratuidades conforme algumas condições especificadas no site oficial.


Horário de Funcionamento

Todos os dias das 8:30h às 17h, exceto quinta-feira. O portão fecha às 16h.


Precisa de reserva?

Depende. No meu caso eu fui sem agendamento. Fiz a visita por conta, seguindo as placas das trilhas, galerias, exposições, etc. Porém o museu oferece a visita com trilhas guiadas e trilhas noturnas. Além disso, existe uma fantástica torre de observação (vou falar melhor a seguir), onde é possível presenciar o nascer e pôr do sol. Para todas essas atividades é necessário fazer agendamento prévio.


O que vestir

Roupas confortáveis, chapéu ou boné para proteger do sol, repelente (eu não usei, mas vi algumas pessoas usando) e calçados fechados. Não é permitido entrar de chinelos ou qualquer calçado aberto. Na entrada há um local onde é possível alugar botinas aos desavisados.


A visita

Chegamos ao MUSA às 9h e decidimos visitar primeiro a torre de observação. Ela foi construída para proporcionar a contemplação dos mais de 100 km² de floresta.



A torre é de aço e possui 242 degraus, mas não precisa se assustar. A dica é subir bem devagar e apreciar as diferentes camadas das plantas e árvores que a rodeiam. Por conta disso, a torre possui 3 plataformas onde é possível parar, sentar e contemplar. A primeira plataforma tem 14 metros de altura, ainda abaixo da copa de muitas árvores.

A segunda é com 28 metros e a terceira é com 42 metros. Nessa altura já temos uma vista panorâmica acima das árvores e conseguimos avistar alguns prédios da cidade bem afastados. A diversidade de cores e tamanhos das copas é imensa. Valeu a pena subir cada degrau:



Seguimos a visita pelas trilhas e nos deparamos com o Angelim Vermelho: a árvore mais alta da Floresta Amazônica. Ela pode filtrar a mesma quantidade de carbono que 300 árvores pequenas. Não é maravilhoso?



Ao longo das trilhas há uma exposição de grandes fotografias que dão um contraste lindo em meio a natureza. O fotógrafo se chama Eduardo Soares que retratou a cultura indígena da Amazônia.


Conheça o Museu da Amazônia: MUSA


Vimos também em outra exposição como funciona o sistema agrícola das margens do Rio Negro.

Passeamos pelo Lago das vitórias amazônicas, que tem também peixes e jacarés. Conseguimos ver um jacaré bem de pertinho.



Visitamos um aquário cheio de peixes, com destaque para o Pirarucu, considerado o dinossauro da água doce. Pode chegar até 180 kg na Amazônia, mas há quem diga que chega a 300 kg.

Vimos também orquídeas, bromélias, borboletas…só não conseguimos ver as serpentes. O local estava fechado, não sei por qual motivo.



Encontramos também painéis com literatura e folclore indígena. As histórias são muito interessantes, dá pra ficar horas lendo e aprendendo.



Ao final de nossas andanças, sentamos no café do museu que serve vários lanches e bebidas para se refrescar. Nas dependências do museu também há bebedouros para quem quiser levar sua própria garrafinha.



Blogs legais!


Deixo a seguir mais dicas e experiências sobre outros museus espalhados pelo Brasil e o mundo:


Uma Viagem Diferente - Os Melhores Museus em Bogotá

Destinos Por Onde Andei… - Museu Nacional de Bellas Artes, Santiago

Vamos viajar pra onde agora? - 10 museus pelo mundo


Para finalizar, quero compartilhar com vocês o vídeo da minha imersão na Floresta Amazônica. A experiência foi mais do que incrível! Aproveita para se inscrever no canal também, tem bastante conteúdo sobre minhas viagens mundo afora...



Comments


bottom of page